Os presidiários do condado de Monroe plantam hortas e doam colheitas para a despensa de alimentos local

Detentos de Monroe

Os detentos na Instalação do Dormitório de Detentos do Condado de Monroe (nos Estados Unidos) estão colocando as mãos na terra e retribuindo à comunidade.

Na primavera, um terreno foi limpo na instalação em Dunbar Road e preparado para um jardim de frutas e vegetais.

Cultivar um jardim comunitário tem sido um objetivo do Xerife do Condado de Monroe, Troy Goodnough, há 10 anos.

A partir de sementes e mudas, os detentos têm tido sucesso no cultivo de vegetais e frutas em uma área onde antes crescia apenas grama e precisava ser mantida.

“A ideia por trás disso é economizarmos dinheiro ao não precisarmos cortar a grama constantemente”, disse Goodnough. “Estamos transformando a terra em uma fonte produtiva. Não estamos gastando dinheiro para manter a grama cortada e isso dá aos detentos a oportunidade de fazer algo. Eu venho considerando essa ideia desde 2013, mas só conseguimos colocá-la em prática quando eu me tornei xerife.”

Detentos Plantando
FOTO TOM HAWLEY/THE MONROE NEWS

Com condições climáticas favoráveis, os detentos trabalham diariamente no jardim em regime voluntário, proporcionando-lhes a oportunidade de aprender sobre agricultura e se exercitar.

“Nós chamamos de ‘exercício e atividade contínua’. Ninguém é obrigado a trabalhar no jardim”, disse Goodnough. “Aaron Socha é o coordenador do jardim e supervisiona todas as operações. Ele fez um trabalho fantástico e há pessoas esperando na fila para sair e trabalhar.”

Na semana passada, aproximadamente 150 libras de cebolinhas, pepinos e abobrinhas foram doadas para o Programa de Oportunidades do Condado de Monroe, especificamente para o Banco de Alimentos The Lord’s Harvest, localizado na 1140 S. Telegraph Road. Quando estiverem prontos para colher, mais produtos estão a caminho.

Pepinos
FOTO TOM HAWLEY/THE MONROE NEWS

“Temos um canteiro de morangos, melancias, feijões verdes, pimentões verdes e mais de 160 pés de tomate”, disse Goodnough.

De acordo com Goodnough, projetos como esse são importantes por algumas razões.

“Algumas dessas pessoas podem ter crescido em um ambiente familiar onde não tinham um jardim e nunca tiveram a oportunidade de aprender a cultivar. Estamos ensinando a eles essa habilidade – como cultivar e produzir sua própria comida saudável”, disse ele. “Também observamos que a jardinagem é uma boa terapia.”

“Damos a eles uma ferramenta para reduzir o estresse. Algumas pessoas pescam. Outras caçam. Algumas jogam golfe como uma forma de desestressar. Estamos dando a eles mais uma ferramenta para a caixa de ferramentas”, disse Goodnough. “Quando eles voltam para a comunidade, têm mais uma ferramenta que podem usar. Podem plantar seu próprio jardim e ver o resultado de seu trabalho.”

Com informações do The Monroe News

Deixe um comentário